Importante!

A manutenção desta página é independente de qualquer instituição conscienciológica.

NÃO ACREDITE EM NADA!
Nem mesmo no que está postado nesta página de internet.
A intenção desta página é relatar debates das tertúlias, e não relatar verdades absolutas.
Questione e pondere tudo com racionalidade.

Tenha suas próprias experiências!


Encerramento das Atividades

Precisei parar com o blog. Mais informações neste post.

Updates deste Site

sábado, 29 de novembro de 2008

*1034. Somatório Assertivo - Sábado, 29 de Novembro de 2008



**************************************************************************

O texto a seguir não constitui transcrição das palavras do professor Waldo.

Por favor, para saber o conteúdo exato das tertúlias, vejam o vídeo ou ouçam o arquivo de audio no site www.tertuliaconscienciologia.org.

Essas anotações são pontos que eu anotei e que estão sujeitos à minha interpretação.

**************************************************************************


  1. Os móveis nossso lá em casa são todos escritos, com textos em várias línguas e de vários escritores. Então é um tal de escrever em tudo lá. Outra coisa que a minha mulher gosta é de ter uns quadros lá em casa para escrever recados com caneta. Quer dizer, casa de escritores, com tudo na base da escrita. Agora, ainda damos valor para a escrita à mão, não ficamos só na digitação. Tem prato todo escrito, à mão. Então estamos fazendo uma evocação do processo do grafismo, que é do grafopensene.
  2. Síndrome de Amiel (*"Síndrome de Amiel". O escritor das coisas inúteis é Henri-Fréderic Amiel. Obrigado a "Anônimo", que me deu essa infromação.). Isso é um escritor que ficou dezenas de anos só escrevendo coisas inúteis, que expreme no fim e não tem nenhum resultado. Ele ficava escrevendo que hoje está mais amarelo de um lado das flores... Ontem tinha mais um tom azul...
  3. Relação entre somatório assertivo e a teoria da relatividade. Somatório assertivo é quando soma um monte de coisas e aquilo clareia a sua cabeça quanto aos próximos passos a serem seguidos. Então você soma mais coisas sobre cosmoética, realidade assertiva... Agora, teoria da relatividade é importante aí porque mostra que tudo é relativo e temporário, efêmero. Esse somatório assertivo então, amanhã para você, não vai ser tão assertivo porque você já vai ter evoluído e desenvolvido os seus conhecimentos. Então não é mais assertivo porque vai ficar faltando idéia, devido aos acréscimos.
  4. O erro maior é a pessoa deixar passar a oportunidade batida, sem perceber. É melhor fazer uma coisa pequena do que deixar ela passar sem fazer.
  5. Quando você faz um somatório, um balanço, aquilo quase sempre exige de você uma reciclagem. Agora, mês que vem vai acabar o ano. Quase sempre a pessoa no término desse ciclo do ano, ela faz uma reciclagem para fazer balanço.
  6. Quem teve a idéia de fazer o tertuliarium não fui eu. Foram vocês mesmos, os tertulianos que falaram até pegar a idéia. E outra coisa, em vista disso, eu vou agradecer a todos vocês e desembrulhar o presente de natal que vocês estão me dando, que é o tertuliarium. Nós que passamos 6 anos falando ali de qualquer maneira, e um dia faltava uma coisa, outro tinha cheiro de tinta... Agora pelo menos todo tipo de acidente que acontecer vai ser mais técnico. Agora, eu quero confessar uma coisa: estou achando isso muito bom, porque esse tertuliarium pode não encher nem metade com o povo, mas enche sim. Enche de consciexes.
  7. Ontem eu saí e fui com um motorista, e daí tinha uma senhora sentada do lado dele, falando para eu falar para ele que ela estava ali, e eu começei a falar com ele, que quem era da família dele que tinh amorrido há uns 8, 10 anos e que era do jeito desse senhora, e descrevi ela. Daí ele falou que era a tia dele. Daí eu começei a falar para ele que ela estava ali. Eu falei para ele e ele até me agradeceu depois. Eu tava dizendo para ele que na época da nossa cooperativa, e fiz uma série de kits para dar para os taxistas, que as pessoas sabem que tem conscienciologia ali mas não sabem o que ela faz. Então o bom é fazer um kit para deixar com os taxistas e também por aí.
  8. Agora, no Tertuliarium vai ser que nem no Rio Centro, quando eu estava falando numa sala para 2000 pessoas mas só com metade dos assentos preenchidos. Daí eu começei a falar para o lado que estava vazio, e expliquei para as pessoas depois que eu estava falando para as consciexes, que eu não estava louco não.
  9. As performances dos núcleos assertivos. Os núcleos são formados quando nós fazemos um curso aqui, e daí os participantes formam um núcleo. Você também quando faz os seus esforços nos estudos, ou na informática, você cria um núcleo sobre isso. Depois esse núcleo ajuda os seus esforços posteriores e as coisas ficam mais fáceis e mais amplas, com maior alcançe!
  10. "Resíduos Mitológicos", eu fiz o verbete, vou trazer aí. Os UFOs, o Zeus.
  11. Eu nunca dei um presente de natal de um milhão de reais. Agora, vocês me deram, vocês estão são milhonários. Amanhã vamos desembrulhar o presente.
  12. Eu estou esperando funcionar o Tertuliarium para redigir o verbete sobre ele.
  13. Muito antes de fazerem o Tertuliarium, eu era a favor de fazer um lugar para falar, e ali na frente do Village, que eu já tinha escolhido o local. Daí, depois vieram o Cesar e o pessoal aí e tiveram a idéia.
  14. Agora, Platão, você sabe, ele tinha uns 40 anos, e criou a academia, e ela existiu por mais de 200 anos depois que ele morreu. Ele tinha tudo pedagógico, o jeito de ser, sériamente. Agora, fora tinha uma praça, que era a ágora, onde ele distribuia as idéias e distribuia livros para o povão. A academia tinha só professores especialistas. O maior professor da academia dele era o Aristóteles, que ficou célebre. Agora, tinha também o Teeteo, que discutia mais e era uma cabeça, debatia com o povo todo lá. Agora eu acho que um desses nossos amparadores homens, eu tenho leve desconfiança que ele é o Teeteo. Se tem um deve ter outros de lá também.
  15. Então eu mandei as minhas idéias hoje para o Platão, falando que estamos fazendo uma coisa que era que nem o que ele queria fazer lá, que o Sócrates também não conseguiu fazer. Agora, Platão não tinha ar condicionado na sala, e nós temos lá. Vamos enfrentar o verão com ar condicionado lá dentro.
  16. Lá no Oráculo também não tinha isso, não tinha debate.
  17. Uma asserção correta é o assertivo ideal. Agora, o somatório assertivo, é o conjunto de acertos.
  18. Somatório assertivo é dos acertos. Não interessa falar somatório assertivo dos erros da pessoa.
  19. Sinergismo com a passagem do tijolo é quando o Transmento fala alguma coisa para o Enumerador que daí vem e fala ela para mim. Então eu quero dar com um tijolo na cabeça de cada um.
  20. A minha tendência às vezes é fazer um trocadilho maior, uma piada maior com as coisas. O próprio Enumerador uma vez me falou para não colocar aquilo que eu tinha pensado, para guardar e deixar. Eu tenho agora percorrido meus dados muito antigos, para enriquecer os verbetes. Aquilo que você não usou agora, guarda, que amanhã pode servir. E também despersonalizar o texto, porque a minha tendência é colocar o meu estilo, e não quero colocar excessivamente. O negócio é acabar com a individualidade no processo da comunicação. Às vezes eu evito colocar porque faria o texto ficar mais complexo. Eu antes fazia os verbetes mais simples para não trazer outros que fossem assustar o passarinho. Então agora eu faço eles com muito mais interrelações. Às vezes o que eu tiro é só uma expressão, uma palavra, mas é porque aquilo ia complicar mais. Quando eu fico na dúvida se aquilo vai complicar, daí eu não coloco. Tem coisas de 30 anos que eu guardei e que dá para ver pela tinta da caneta que é coisa antiga. Teve época que eu escrevi tudo com caneta preta.
  21. Nós temos intervenções hoje do povo da Interlúdio, que está fazendo intermissivo lá e que passa por aqui para ver o que estamos fazendo aqui.
  22. Tertuliárium é a coisa mais séria que tem aí do ponto de vista parapsíquico. Com ele nós vamos poder mexer com mais energia.
  23. Eu me dedico à macroeconomia mentalsomática há 60 anos. Quanto mais a consciência evolui, mais ela fica macro. Agora, o Transmentor, ás vezes eu tenho dificuldade para entender o processo dele porque ele é muito macro. Tudo é um problema macro mentalsomático.
  24. Ficha evolutiva com somatório assertivo, tem que examinar o que é grupal e o que é coletivo. Para nós aqui, tem pelo menos uma conotação grupal, pelas maxiproéxis. A maxiproéxis faz as pessoas serem grupais. Agora, adivinha quem é o cara mais grupal que tem aqui? Sou eu. Eu, desde pequeno, quando não tinha dinheiro já via que não adiantava eu estudar esse monte de coisas sobre consciências se não fosse esparramar para os outros.
  25. Os caras fazem a covardia de não falar no princípio da descrença porque não têm a visão de conjunto. Eles só pensam em dinheiro. Eles às vezes reclamam do patrão que só pensa em dinheiro, mas eles são muito piores. Uma coisa séria seria pensar no jornalismo para ver o tema, se é grupal, coletivo ou individual.
  26. Quatro viezes da mídia que nós queremos: olho no olho, online, rádio e TV. Na verdade tem um quinto também, que é o parapsiquismo. Precisava ter então aqui que falamos para todo mundo, até para outra dimensão. Precisava ter o quinto, quer dizer - nós ainda não fomos para o quinto. Agora, não é o quinto dos infernos não, é o quinto da Interlúdio.
  27. A sinalética que eu confio mais é o banho de energia. Por isso que eu considero essa manobra energética a mais séria. Ontem quando eu saí no carro lá e vi a senhora, eu encapsulei ela e daí recebi um banho de energia, vi que era parente dele. Daí nós fomos lá, jantamos, e quando voltamos, ela ainda estava lá, e ela virava para trás e falava "como é que é, vai falar ou não vai??". Agora, eu acho que ela não era guia cega não, era amparadora.
  28. Eu acho que dá para ver que alguns amparadores nossos não dominam demais a energia porque eles não chegam ao ponto de fazer um encapsulamento que esconda a relação que temos com eles. Serenão faz isso com facilidade, mas tem amparadores nossos que não conseguem, e daí dá para ver (?).
  29. No momento evolutivo de tal cosnciência, têm coisas que são impossíveis para ela, naquele momento evolutivo.
  30. Assertivo é asserção. Agora, eu posso usar afirmativo. Essa afirmação já começa a ser mais positiva. O Platão usava essas coisas. Mas ele usava elas nas coisas que eram mito. Agora nós usamos elas baseadas em fatos e parafatos. Hoje já não é mais mito.
  31. Desde que a coisa fique explícita, eu sou a favor de misturar tudo em termos de linguagem. Isso é o universalismo.
  32. Expressão do Paraná que eles falam ser o "Chic do último", que é o melhor da elite.
  33. O Enumerador estava lá comigo ontem, superintendendo o processo da senhora e o motorista.
  34. Parapsiquismo as pessoas não vão entender tão cedo o processo, tire o cavalo da chuva porque elas não bão entender.
  35. Ontem tinha um grande arco-íris vindo lá do outro lado da república da Aregentina e vindo para cima do Tertuliarium. É o pote de ouro no fim do arco-íris. Ele vale um milhão né.
  36. Processo do acolhimento extrafísico é o que embasa a sua disponibilidade ao teleguiamento autocrítico. O teleguiamento você vai receber de uma maneira profissional e ininterrúpta, o tempo todo, mas tem que saber fazer o acolhimento. Se você não faz um acolhimento ao outro, você não vai acolher também ao chamado do amparador. Não é só acolher o assistido, é acolher também o amparador. Tem os políticos que trancam tudo e não recebem o amparador. Acolhimento é devassado, você não vai identificar se é centrífugo ou centrípeto - há uma abertura generalizada. No meio disso tem as centrais extrafísicas. Coloca as centrais no meio disso que vai dar um caldo nisso tudo. Uma pessoa, para chegar no teleguiamento, ser veterano, ele já deve ter tido que acessar muito o processo das centrais. Agora, na hora que uma pessoa acessar uma central, ela já está superior à predisposição que ela demonstra para evocar o amparador. A central é superior ao amparador, é uma coisa composta. A central é como se fosse uma pessoa jurídica, uma instituição, e o amparador uma pessoa física. Só com o tempo você vai saber se está acessando as centrais, e é a pessoa que percebe. Não adianta explicar como funciona isso, é a prática. É com a assistência que surge isso.
  37. Tudo que a gente arranjou um patamar, tem que usar ele bastante. Tem que ir para outro depois que já esgotou. Se aparecer um patamar novo, tem que usar ele até esgotar, antes de pensar em outro. Senão ela vai ficar com lacunas no desenvolvimento parapsíquico dela. Por isso que tem que anotar tudo.
  38. INT: sempre quando acordo eu sinto o corpo todo formigando e meu professor de CPC me falou que é o meu energossoma, mas às vezes é incômodo de tão forte. PW: tudo indica que você em um processo neurológico de mioclonia. Seria bom você estudar o processo de mioclonia e também ver se não é sensitivo ectoplasta, que quando tem muita mioclonia pode ser sensitivo ectoplasta.
  39. Limpar a cabeça, e pensar só o positivo, cortando o negativo.
  40. Com a técnica do mais um ano de vida a pessoa pode recuperar tudo que deixou para trás, inclusive as diretrizes da proéxis dela.
  41. Choque da dessoma pode ser muito positivo quando a pessoa teve compléxis aqui. Ele pode ser positivo e de euforin.
  42. Tenepes substitui a imobilidade física vígil porque ali tem um amparador funcionando com você e exteriorizando energia. Ele substitui a imobilidade e é muito mais avançado.

2 comentários:

  1. (É "Síndrome de Amiel". O escritor das coisas inúteis é Henri-Fréderic Amiel)

    ResponderExcluir

Comentem com opiniões e reflexões.